Regional

JUSTIÇA: Candidata reverte reprovação em teste psicológico e retorna ao certame

A defesa da servidora atacou a tese da Banca demonstrando a existência de ilegalidade, inconstitucionalidade ou erro grosseiro na avaliação do teste psicológico.

O Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins rejeitou a concessão de uma liminar (decisão provisória) impetrada por uma Banca que pediu a retirada de uma candidata ao Concurso Público da PM-TO de 2021, que havia sido eliminada no teste psicológico, mas que teve decisão liminar de 1ª Grau deferida para retornar ao certame.

Na decisão, O TJ-TO negou a liminar da banca após demonstrados os fatos expostos de que o exame não foi realizado em conformidade com a legislação vigente e o edital.

Leia tambémDIREITO DO SERVIDOR: Justiça condena Estado a pagar retroativos de data-base de servidor público

[relatedposts]

A defesa da servidora atacou a tese da Banca demonstrando a existência de ilegalidade, inconstitucionalidade ou erro grosseiro na avaliação do teste psicológico.

“Portanto, o Tribunal de Justiça manteve a inclusão da candidata nas demais etapas do concurso até eventual homologação definitiva do certame”, explicou ao Pauta Notícias.

O renomado advogado Indiano Soares, especializado em direitos dos servidores, atua pela candidata.

Leia tambémJustiça condena Estado a promover policial militar e pagar retroativos de 10 anos; Decisão pode beneficiar outras turmas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Enviar Mensagem
Envie seu conteúdo agora!
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Pauta Notícias.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios