Gospel

Para não abortar filha, mãe decide amputar própria perna

Kathleen decidiu amputar toda a perna direita.

Um caso internacional segue gerando grande repercussão na imprensa ao redor do mundo. Trata-se da corajosa Kathleen Osborne, de 28 anos, diagnosticada com câncer pela terceira vez.

À época, durante o recebimento do laudo médico, a jovem britânica estava grávida de quatro meses e, na ocasião, foi informada pelos médicos que só existiam duas opções: abortar o bebê para dar início imediato à quimioterapia ou ter que amputar a perna.

Sem ter muito tempo para pensar, Kathleen não hesitou: decidiu extrair toda a perna direita para se livrar do câncer ósseo.

[relatedposts]

A descoberta

A jovem reside em Wisbech, cidade mercantil da Inglaterra, e não sabia que estava grávida de quatro meses até fazer uma ressonância magnética em novembro do ano passado, após ter identificado um caroço na perna direita.

Em entrevista ao DailyMail, ela comentou sobre o caso. “Foi realmente assustador porque eu imediatamente pensei que iria perder minha filha. Eu tinha acabado de descobrir sobre ela e então pensei que iria perdê-la”, relatou.

A retirada da perna e o novo nascimento 

Diante de uma situação tão difícil, muitas lembranças começaram a passar na cabeça de Kathleen. Afinal, ela tinha apenas 11 anos quando foi diagnosticada com câncer pela primeira vez. No entanto, dessa vez, o medo não foi maior que a determinação em gerar a vida que estava em seu ventre.

A partir da decisão firmada anteriormente, o procedimento cirúrgico foi marcado e ocorreu no dia 17 de novembro de 2020. A cirurgia foi um sucesso.

Por sua vez, em março deste ano, nasceu a pequena Aida-May. Prematura, a bebê veio ao mundo oito semanas antes do previsto, por meio de uma cesariana.

Apesar de May ter nascido antes do esperado, os médicos garantem que ela nasceu muito bem e saudável.

“Estou feliz por ter decidido perder minha perna porque ela me deu minha filha. Se eu não tivesse amputado naquela época, eu a teria perdido e estaria fazendo quimioterapia, o que poderia nem mesmo ter salvado minha perna no final. Eu não a teria se não fizesse isso, então valeu a pena”, explicou.

Os filhos

Kathleen Osborne já era mãe de Hayden, de 9 anos, e de Leo, de 5. Ao portal de notícias britânico Metro, ela disse que os meninos sempre quiseram uma irmã.

“Eu sempre quis uma menina e agora ela está aqui, então estou feliz por ter feito isso. Eles também sempre quiseram uma irmã, então foi melhor assim, para ser honesta. Ainda estou muito feliz com minha decisão. Eu disse aos meninos que os Transformers estão construindo para mim uma nova perna, e eles ficam perguntando quando ela vai chegar”, diverte-se, apesar das dificuldades enfrentadas.

Novo laudo

Neste período em que esteve integralmente no hospital, os médicos realizaram uma nova ressonância magnética e descobriram que o câncer nos pulmões —um dos tipos de tumores que Kathleen já portou— havia retornado. De acordo com eles, nesta ocorrência o tumor é inoperável e terminal.

Sem tempo a perder, a jovem aguerrida diz que vai aproveitar cada segundo que a vida lhe proporcionar para estabelecer um vínculo eterno com seus filhos.

“Esse é o meu único foco agora, fazer memórias com meus filhos. São apenas eles, eu realmente não me importo mais com meus sonhos. Não sei quanto tempo me resta, podem ser anos, podem ser apenas meses”, completou Kathleen Osborne.

Com Conexão Política

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Enviar Mensagem
Envie seu conteúdo agora!
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Pauta Notícias.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios