Regional

Estado deve regularizar a situação dos pacientes internados no corredor do HGP

O Estado deverá regularizar a situação de pacientes que estão internados no corredor do Hospital Geral de Palmas (HGP) no prazo de 24 horas. O pedido, feito pelo Ministério Público do Tocantins (MPTO), tem como base um relatório elaborado pelo Conselho Regional de Enfermagem, que realizou vistoria no local, no dia 17 de junho.

O relatório aponta grande demanda de pacientes e acompanhantes acomodados nos corredores do pronto-socorro, em condição degradante e sujeitos a infecções, inclusive de Covid-19.

A entidade também expôs no relatório uma série de violações às normas sanitárias, como cestos de lixos abertos; lençóis e camisolas sem recolhimento regular e a existência de bancada imprópria para diluição e administração de medicamentos, o que aumenta o risco de erros por parte dos profissionais da saúde. 

[relatedposts]

Além da falta de medicamentos importantes para sedação de pacientes, o COREN ainda denunciou irregularidade no cumprimento da jornada de trabalho pelos médicos plantonistas, que passam mais tempo na sala de repouso, do que prestando assistência direta aos pacientes, bem como a ausência de médicos na Unidade de Cuidados Agudos de AVC.

A promotora de Justiça Araína Cesárea D´Alessandro requer a intimação do Secretário Estadual de Saúde, do presidente do Conselho Regional de Medicina, do Diretor Clínico e Diretor Técnico do HGP e do Médico Coordenador do serviço de emergência e da Unidade de Cuidados Agudos para que se manifestem, no prazo de 24h, sobre as irregularidades apresentadas no relatório de vistoria do COREN; e que o Estado promova a internação dos pacientes em leitos e acomode os acompanhantes; que apresente o estoque de medicamentos, e por fim, que regularize a carga horária dos médicos.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Enviar Mensagem
Envie seu conteúdo agora!
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Pauta Notícias.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios