FeaturedRegional

Dep. Eli Borges fala sobre a atuação do Dep. Marco Feliciano, rebate críticas e pede saída de defensora da “ideologia de gênero”

Na última quinta-feira, 15, o Governo Federal publicou a nomeação de Cláudia Mansani para o cargo da presidência da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Diante do ato, o deputado federal e pastor Marco Feliciano (Republicanos), manifestou profunda rejeição usando suas prerrogativas parlamentares para denunciar e pedir providências com relação a ações do Governo.

Marco Feliciano teve o apoio de Eli Borges, deputado federal pelo Tocantins, que durante a sessão no plenário, hoje, 28, proferiu sobre a atuação de Feliciano.

“Ele sai em campo defendendo esses princípios e na visão de que com esses princípios, nós não temos lado político, mas que quem se identificava no momento foi o presidente Bolsonaro. Portanto, era um caminho natural, que nós percorrêssemos, para mantermos o que entendemos ser o caminho de uma sociedade, equilibrada”, disse Borges.

A nomeação é vista negativamente por pelo menos 20 entidades ligadas à ciência, mas também de setores mais conservadores aliados ao governo Jair Bolsonaro. A recusa se dá por estar ligada a pensamentos e ideologias alinhadas à esquerda.

[relatedposts]

“Fizemos, a boa defesa e fomos à luta no sentido de construir o poder de centro-direita e na defesa dos princípios que já mencionei. Portanto, quero me dirigir ao ministro da educação, no sentindo que ele repare essa indicação da senhora Claudia, pois quem governa, teve o apoio de pessoas para que se chegasse aqui”, finalizou o deputado federal.

Assista:

 

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Enviar Mensagem
Envie seu conteúdo agora!
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Pauta Notícias.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios